A Eficácia da Oração de Confissão

“Tu ó nosso Deus, nos tens castigado menos do que merecem as nossas iniquidades. Não há ninguém que possa estar na tua presença por causa disto” (Esdras 9:13 e 15). Um dos componentes da oração é a confissão de pecados. Entre as mais fervorosas orações encontradas na Bíblia, se destacam as de Esdras, Neemias e Daniel, e todas elas estão no capítulo nove em seus respectivos livros. A de Esdras recebeu como título “A oração e confissão de Esdras”, a de Neemias “Arrependimento e confissão de pecados”. E na oração de Daniel a confissão se faz notar: “nós temos pecado e cometido iniquidades. Procedemos mal e fomos rebeldes, afastando-nos dos teus mandamentos e dos teus juízos.” O “nosso rosto está coberto de vergonha. Ó Senhor, perdoa!” (versículos 5, 7 e 19). Conhecemos o sucesso de Esdras e Neemias na liderança do povo israelita. Quanto à oração de Daniel, temos o testemunho dele nas seguintes palavras: “Enquanto eu ainda falava, orava, confessava o meu pecado e lançava a minha súplica diante do SENHOR, o anjo Gabriel veio rapidamente, voando e tocou em mim, falou comigo e disse: Quando você começou a fazer as suas súplicas, foi dada uma ordem e eu vim para explicar tudo a você, porque Deus o ama muito” (Daniel 9:20-23). Mas o exemplo clássico da oração de contrição, oração que brota de um espírito humilde, encontramos no Calvário. O assaltante penitente reconheceu suas culpas, admitindo o caráter justo da punição que recebia dizendo: “A nossa punição é justa, porque estamos recebendo o castigo que os nossos atos merecem”. Em seguida orou: “Jesus, lembre-se de mim quando você vier no seu Reino”. E conforme a garantia de Efésios 3:20, recebeu infinitamente mais do que pediu, pois ouviu da sacrossanta boca do Redentor a seguinte promessa: “Em verdade lhe digo que hoje você estará comigo no paraíso”, no meu Reino. (Lucas 23:39-43). Esdras orou: “Meu Deus! Estou confuso e envergonhado, para levantar a ti a minha face, meu Deus, porque as nossas iniquidades se multiplicaram sobre a nossa cabeça, e a nossa culpa chega até os céus” (Esdras 9:6). Ao orar, admitiu que por causa das iniquidades estava envergonhado para levantar a face diante de Deus, fazendo-nos lembrar do publicano que ao orar nem mesmo ousava levantar os olhos para o céu, mas batia no peito, dizendo: ‘Ó Deus, tem pena de mim, que sou pecador!”’ E o Senhor Jesus Cristo disse que ele desceu justificado para a sua casa (Lucas 18:11-14). Finalizo com o texto clássico de Provérbios 28:13 que nos direciona à maior de todas as bênçãos: “Quem encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e abandona alcançará misericórdia”.

Em total confiança na graça, bondade e misericórdia de Deus – pastor José Loures.

Posts Relacionados